ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA

terça-feira, 22 de julho de 2008

Profissionais RVCC - cinco desafios

Os profissionais RVCC enfrentam novos desafios cada dia que passa. A implementação do processo RVCC Secundário é um destes desafios que, a nosso ver, tem sido superado com a dedicação e o trabalho preparatório das equipas. Mas outros emergem:
1. O desafio no caso dos adultos que continuam do processo RVCC Básico para o RVCC Secundário e que necessitam de efectiva formação possam ser orientados vocacionalmente para tal.
2. A consolidação das suas funções e articulação com o técnico de diagnóstico e encaminhamento enquadrando a visão de percurso de formação neste contexto.
3. A articulação da equipa com o Avaliador Externo na preparação das sessões de júri.
4. A articulação entre os objectivos do processo RVCC, do perfil do adulto e das necessidades de mercado ao nível da qualificação escolar e profissional, nomeadamente, com a integração de competências presentes no Catálogo Nacional de Qualificações.
5. A gestão da articulação das horas de formação complementar, UFCD's e outras formações no contexto do reconhecimento de competências em contexto para o processo RVCC, destacando também as competências adquirida com e no decurso do próprio processo RVCC.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Técnico Superior - cinco Desafios

A criação da figura do Técnico Superior vem alterar e muito o processo de relação/interacção do adulto com os CNO, assim como, as próprias interacções dentro das equipas. Deixamos aqui 5 desafios emergentes dessa nova função e que se tornam fundamentais para a qualidade global do projecto e do processo de qualificação do adulto.
1. O Técnico Superior deve estar sempre actualizado sobre: Perfis Profissionais (certificados ou a certificar de acordo com o Catálogo Nacional de Qualificações), assim como, da legislação em vigor para a qualificação profissional.
2. O Técnico Superior deve ser capaz de iniciar um processo de consciencialização do adulto para a auto-construção de um percurso formativo.
3. O Processo de Diagnóstico e Orientação deve ser partilhado com o adulto e também com os profissionais RVCC e formadores. Pode, caso seja útil, recorrer ao Avaliador Externo para apoio na decisão a tomar.
4. A Orientação e Posicionamento do adulto devem ser pensados com uma visão prospectiva e não só de "recuperação" da qualificação.
5. A articulação de todo o processo de desenho da solução partilhada com o adulto deve ter em conta o triângulo: Mercado de Trabalho - Aprendizagem ao longo da vida - Certificação Escolar e Profissional (Com ou sem formação).

Retirado do blog: O Processo RVCC/Centros Novas Oportunidades

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Comentários sobre a minha experiência no processo RVCC - Nível Secundário

A educação escolar deve preparar-nos para a vida de adulto. Na escola, aprendemos a pensar, a solucionar problemas, a distinguir o racional do irracional, a pensar de modo claro, a adquirir novos dados e a perceber as ligações entre as diversas partes e o todo.
Ao longo de todo este processo, senti o entusiasmo de descobrir que na minha vivência adquiri algum conhecimento nas disciplinas que compõem o 12º Ano (por ex: Sociologia, Direito, Português, Física e Química). Sugiro a outros participantes deste processo que aproveitem os dias normais (no trabalho, em casa e noutras actividades) para estarem atentos a acções, aprendizagens e métodos que usam, relacionando-as com os Domínios de Referência a desenvolver. Agora sou capaz de reflectir melhor no ambiente que me rodeia e dar valor ao conhecimento adquirido por cada individuo, sem me tornar superior a ele, porque cada pessoa pode desenvolver capacidades, habilidades ou inteligência em áreas diferentes da minha, que sendo compartilhadas, podem tornar-nos mais ricos em compreensão e entendimento.
Estou grato por toda a dedicação, empenho, entusiasmo e incentivo dos profissionais RVCC (todos os professores e professoras envolvidos).

José Joaquim Cunha

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Visita integrada no percurso formativo - EFA

Visita a Óbidos e Alcobaça das turmas EFA B2 e B3, integrada no Tema de Vida:
"À Descoberta das Origens"


terça-feira, 8 de julho de 2008

Comentário - adulta certificada no nível B3

Aprender compensa

Eu e os outros

Guardar um tempo para nós, para nos ouvirmos e sentimos, para dar voz à nossa consciência e espaço para medir os nosso actos, assim, o primeiro passo para sermos iguais a nós mesmos.
Os outros passos surgem, naturalmente, na sequência deste primeiro e ajudam a encontrar o caminho mais certo. O caminho que é meu mas que também pode ser dos outros, o caminho que nos leva a ser únicos e diferentes no mundo mas não nos afasta do mundo dos outros.

Aos professores que me acompanharam e colegas, por toda a ajuda e apoio, o meu especial carinho e gratidão.

Lúcia Carragéis